Connect with us

Brasil

Tudo o que você precisa saber sobre a interdição da Avenida Niemeyer

O município do Rio de Janeiro continua em estágio de crise, e chuvas isoladas podem ocorrer nesta sexta-feira, segundo o Centro de Operações da prefeitura. Um dos locais mais atingidos pelo temporal, a Avenida Niemeyer, que liga o Leblon a São Conrado, na Zona Sul do Rio, permanece fechada nos dois sentidos, sem previsão de abertura. Equipes da Geo-Rio realizam o trabalho de monitoramento das encostas na via, pois ainda há a possibilidade de que ocorram novos deslizamento de terra.

O trecho Vidigal – Leblon está aberto à circulação. Já o Vidigal – São Conrado continua bloqueado.

O temporal que castigou a cidade, na noite de quarta-feira, deixou seis mortos: dois em Barra de Guaratiba, um na Rocinha, um no Vidigal, e dois em um ônibus que foi soterrado na Avenida Niemeyer.

O Centro de Operações Rio (COR) informou, que além da Niemeyer, há interdição em:

— Mergulhões da Barra: Avenida Armando Lombardi e Avenida Ayrton Senna, devido a bolsões;

— Tablado superior do Elevado do Joá, por deslizamento de pedras e quedas de árvores;

— Avenida Visconde de Albuquerque, na altura da Avenida Ataulfo de Paiva, por onde é feito o desvio do tráfego;

— Estrada do Joá, entre a cabine da PM e a antiga churrascaria Oasis. O acesso à via é feito após o retorno da churrascaria. Após, via segue com bloqueios parciais;

— Estrada das Canoas, altura do número 813, em São Conrado, devido a queda de poste;

— Ladeira do Leme interditada devido a queda de árvore;

— Rua General Canabarro interditada, na altura do Colégio Militar, após queda de árvore;

— Rua Olégário Maciel, devido a queda de árvore;

— Rua Alice, na altura da antiga Casa Rosa, em Laranjeiras, devido a queda de uma árvore;

— Estrada da Vendinha, na altura do número 48, Barra de Guaratiba, em razão de desabamento de imóvel.

Curiosos fazem fotos da Niemeyer
Em muitos pontos da Niemeyer, há curiosos que fazem fotos do cenário de destruição:

– Passo aqui todos os dias. Vim ver como ficou o local – disse o empresário Márcio Brota, que caminhava pela Ciclovia Tim Maia e tirava fotos nesta sexta.

Um funcionário da Comlurb comentou que, ao chegar ao Vidigal por volta de 8h, a equipe enfrentou muita dificuldade para acessar os pontos de bloqueio em razão da quantidade de lama.

40 mil sem luz
Na manhã desta sexta-feira, em toda a cidade, cerca de 40 mil pessoas ainda estão sem iluminação. A Favela do Vidigal, próxima à Niemeyer, continua sem luz. A Rocinha, outra comunidade da Zona Sul que foi muito atingida pelas chuvas, também está sem energia elétrica.

Segundo o sistema Alerta Rio, o sistema de baixa pressão no oceano vai se afastar do Rio e a previsão é de céu nublado a parcialmente nublado com pancadas de chuva típicas de verão, durante a tarde e a noite, devido ao calor e a umidade. Os ventos podem ser de fracos a moderados. As temperaturas devem ficar estáveis, com máxima prevista de 33 graus e a mínima de 19 graus.

Comente com seu Facebook

Advertisement
Advertisement

Mais em Brasil