Connect with us

Bahia

Suspeito de matar sargento da PM de Sergipe é morto em mansão na Bahia

fonte: correio24horas

Uma mansão localizada em condomínio de luxo, na localidade de Barra do Jacuípe, município de Camaçari, na Bahia. Foi nesse local que, na madrugada desta quinta-feira (24) a polícia da Bahia e Sergipe fez uma operação que culminou na morte de Bruno Bispo Aragão, de 21 anos.

De acordo com a Secretaria da Segurança Pública da Bahia (SSP-BA) a Coordenação de Operações Especiais (COE) Bruno é responsável pela morte do sargento Ronaldo Bispo Santos, 54 anos, da PM de Sergipe. O latrocínio ocorreu no dia 9 de janeiro deste ano, na cidade sergipana de Itaporanga D’Ajuda.

A morte do sargento aconteceu quando ele chegava em um supermercado da cidade sergipana quando Bruno e outro comparsa estavam praticando um assalto. Bruno, segundo a polícia, ao avistar o policial atirou e fugiu. O sargento estava armado, mas não teve tempo de reação, segundo divulgou a PM de Sergipe.

Bruno foi apontado pela polícia como traficante e homicída Foto: Divulgação/SSP-BA

A operação em Camaçari aconteceu com a participação da Polícia Civil da Bahia e o Cope de Sergipe. “Acompanhado pela Polícia Civil de Sergipe, Bruno, que atuava como traficante, já havia sido preso anteriormente e possuía mandado de prisão em aberto, fugiu após o crime contra o militar. Ações de inteligência descobriram que o criminoso estava escondido em um condomínio de luxo, na localidade de Barra do Jacuípe, município de Camaçari, na Bahia”, afirmou a SSP-BA, em nota.

Com autorização da SSP-BA, a COE foi designada a dar apoio e cumprir o mandado de prisão. A casa foi cercada e no momento da abordagem, segundo divulgou a SSP-BA,  reagiu atirando e acabou atingido. Ele foi socorrido para o hospital Menandro de Faria, mas não resistiu. Com ele foram apreendidos o revólver calibre 38 usado para matar o sargento da PM sergipana e munições.

Esse é segundo caso de procurados pela polícia da Bahia que termina em morte em mansões de luxo no estado em uma semana. Apontado pela polícia como líder da facção criminosa Comando da Paz, no complexo do Nordeste de Amaralina, foi morto em confronto com as forças policiais , no dia 17 de janeiro, Marcelo Henrique Menezes dos Santos, o ‘Elias Pinto’.

Elias Pinto, segundo a Secretaria da Segurança Pública da Bahia (SSP-BA), liderava a quadrilha responsável pela morte do cabo Gustavo Gonzaga da Silva que ocorreu em junho de 2018.  Gonzaga estava voltando para casa depois do trabalho e dava carona para um amigo de infância, conhecido como Jai, quando foi abordado por três criminosos, identificados como Choquito, Keka e Leno. O PM foi torturado e teve o corpo mutilado antes de ser morto pelo trio. Gonzaga ainda recebeu vários tiros na cabeça.

Elias foi morto em operação de equipes da Secretaria da Segurança Pública (Polícia Civil, Polícia Militar e Serviço de Inteligência) e da Polícia Federal  junto com Dimas Santos do Nascimento, que, segundo a SSP-BA, seria seu comparsa. Eles estavam escondidos em uma mansão de alto luxo no distrito de Areias, município de Camaçari, Região Metropolitana de Salvador (RMS).

Comente com seu Facebook

Advertisement
Advertisement

Mais em Bahia