Connect with us

Artigo

criança abusada pelo próprio pai

https://tribunadovale.com.br/index.php/o-drama-de-uma-crianca-abusada-pelo-proprio-pai/

Desde o ano passado uma menina de 10 anos sofria o pesadelo de ser abusada sexualmente pelo próprio pai, um trabalhador rural que reside nas casinhas populares do bairro Bela Manhã, em Santo Antônio da Platina. (Na reportagem publicada na noite de terça-feira nos sites da Tribuna do Vale e Tá No Site, erroneamente foi grafado que a residência do agressor era no Conjunto Habitacional Vitória Régia). Na manhã de terça-feira (12), ao ser atacada novamente pelo anormal, em desespero, a criança fugiu de casa e escondeu-se num matagal próximo à Paróquia São José, no Jardim Colorado.

O registro do desaparecimento da criança mobilizou os moradores do bairro durante o dia todo na busca do paradeiro da menor. A menina foi localizada no começo da noite,  próximo à igreja católica. Indagada pela pessoa que a encontrou sobre o que estaria fazendo, ela respondeu que havia fugido de casa porque sofrera tentativa de abuso sexual de seu próprio pai.

Diante da situação, a Polícia Militar foi acionada e o caso foi atendido pelos soldados Wendell da Silva Baião e Nayara Hellen Trevizan. Os PMs conversaram com a criança e ela relatou à policial feminina que estaria sofrendo abuso sexual desde o ano passado, e que na terça-feira o pai tentou novamente cometer o abuso, por isso resolveu fugir de casa.

Relato doloroso

O Conselho Tutelar foi chamado e o caso acompanhado pelas conselheiras Rosemari Alcântara e Simone Santana, para as quais a criança, espontaneamente, fez o relato doloroso dos abusos que vem sofrendo de seu pai desde o ano passado. Foram as conselheiras que levaram a menina até o Pronto Socorro Municipal, onde passou por exames. Rose, como é conhecida uma das conselheiras, não escondeu a emoção na noite de terça-feira, ao falar rapidamente por celular com a reportagem. “Por mais que convivamos com a violência do dia a dia envolvendo crianças, quando nos deparamos com um drama como desta menina, fica difícil segurar a emoção”, relatou emocionada.

O caso foi apresentado ao delegado de Santo Antônio da Platina, Rafael Pereira Gabardo Guimarães, que, após ouvir todos os presentes, decidiu por autuar em flagrante o pai da menina pelo crime de estupro de vulnerável.

O pai negou ter abusado de sua filha, alegando que a mesma estaria saindo com um “namoradinho” e que quando descobriu discutiu com ela e por isso teria fugido, assegurando que nunca cometeria uma barbaridade desta com a menor.

Segundo o delegado Rafael Guimarães, os nomes dos envolvidos não podem ser divulgados, tendo em vista que a legislação exige o sigilo absoluto do processo envolvendo crimes sexuais, especialmente para preservar a imagem da vítima.

Parceria

O delegado reforça que existe  comprometimento e união da Polícia Civil, Ministério Público e órgãos da Rede de Proteção (Cras, Conselho Tutelar, Educação e Saúde municipal) no combate aos crimes sexuais e violentos contra crianças e adolescentes. São muitos casos dessa natureza que ocorrem na cidade, mas até o momento não eram divulgados. Porém chegou o momento de dar visibilidade a atuação dos envolvidos e estimular as vítimas e testemunhas a denunciar esses crimes e elas precisam saber que encontrarão suporte, atenção e os criminosos serão punidos.

Violência doméstica

O acusado permanece preso na cadeia pública de Santo Antônio da Platina.  Segundo relatos do Conselho Tutelar, há tempos vinha abusando de sua filha de 10 anos, que teria relatado o fato à mãe. Porém, ao invés de denunciar o marido, ela teria orientado a filha de lhe informar caso isso ocorresse novamente.

Este caso que vem à tona é mais frequente do que se pensa, diz a conselheira tutelar Rosemari Alcântara. O próprio delegado anunciou um trabalho conjunto entre vários órgãos para combater esta onda de violência doméstica, principalmente o abuso sexual praticado por quem deveria proteger e cuidar dessas crianças.

Comente com seu Facebook

Advertisement

Mais em Artigo