Maia diz que ministro do STF Nunes Marques, nomeado por Bolsonaro, é parcial

Na 2ª feira (1º.jan.2021), quando ainda exercia o cargo de presidente da Câmara, o deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ) disse a colegas que o ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Kassio Nunes Marques é parcial em suas decisões. Nunes Marques foi indicado à Corte por Jair Bolsonaro em outubro de 2020. Entrou no lugar de Celso de Mello.

A declaração se deu durante reunião fechada com líderes partidários no dia da eleição da Câmara. Foi um encontro tenso. Maia validou o bloco formado por Baleia Rossi (MDB-SP), candidato apoiado por ele para presidente da Casa, contra a vontade do grupo político de Arthur Lira (PP-AL), o outro candidato –que venceu a eleição.

O imbróglio foi porque o PT se registrou no bloco de Baleia Rossi 6 minutos depois do prazo estipulado, 12h. Também foi citado suposto atraso cometido pelo MDB. Lira e Maia discutiam o assunto de forma dura.

O candidato do PP mencionou decisão do STF que reduziu os poderes de Rodrigo Maia. O ministro Nunes Marques mandou que a Mesa Diretora da Câmara discutisse assunto que Maia havia dado como resolvido: a validade ou não das assinaturas de deputados suspensos do PSL, que levaram o partido da órbita de Baleia para a de Lira.

A manobra no PSL foi possível porque uma parte dos deputados da sigla (principalmente dos suspensos) é leal a Jair Bolsonaro. Bolsonaro apoiava Lira na disputa da Câmara.

O Poder360 obteve a transcrição da reunião enviada pela Câmara a deputados. Consta o seguinte diálogo:

Rodrigo Maia: Está feito o deferimento. Eu decidi. Eu sou o Presidente da Câmara hoje. Está decidido.

Arthur Lira: Não, senhor. O Supremo cassou a sua decisão, Presidente.

RM: Porque o Supremo tem um Ministro que é parcial, Deputado.

AL: Quando é a seu favor, não é parcial. O senhor respeite as instituições!

RM: O Kassio sempre foi parcial.

AL: Não. Não queira aqui discutir esse assunto. Parcial está sendo vossa excelência.

RM: Não estou sendo, não.

A altercação entre Lira e Maia foi relatada ao Poder360 por deputados que participaram do encontro. A transcrição obtida pela reportagem registra momento em que Lira bate na mesa. O trecho a seguir é reproduzido sem adaptações ao padrão deste jornal digital para mostrar como consta no documento:

“O SR. ARTHUR LIRA (Bloco/PP – AL) – Estou apelando a vossa excelência. para que tenhamos um ritmo normal na Casa. Nós não vamos admitir aqui no plenário atropelo, Presidente. (Tapa na mesa.)“

Maia reagiu à atitude do deputado do PP: “Não precisa bater na mesa”. A altercação continuou:

Arthur Lira: Nós estamos no último dia…

Rodrigo Maia: Vossa excelência não está em Alagoas.

Arthur Lira: Estou refletindo. Não estou também no morro do Rio de Janeiro. Então, vamos fazer com ponderação…

Rodrigo Maia: Se sairia bem se estivesse lá.

Políticos do bloco de Baleia Rossi afirmam que a demora no registro do grupo foi por causa de uma falha no sistema eletrônico. Aliados de Lira dizem que esse problema nunca aconteceu.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Loading…

0